segunda-feira, 7 de junho de 2010

ARROIO ARAÇÁ (Barra do Ribeiro)

Voltar ao arroio Araçá  pela terceira vez e visitar as prainhas de areias brancas da ponta do Salgado não tem nada demais. Ainda quero voltar outras vezes e até penso em uma remada mais longa com acampamentos e ver o sol nascer lá por cima dos morros da margem leste do Guaíba, quem sabe sobre a ilha do Chico Manuel ou morro do Coco. Depois, o sol sumindo por trás de Barra do Ribeiro ou iluminando o saco do Araçá.

Saímos eu e o amigo Padaratz do recanto das Mulatas com ondinhas que, a princípio, não estavam em nossos planos e  aumentaram mais, na medida que avançávamos para o meio procurando linha reta para foz  do arroio Araçá. As ondas estavam chegando pelo través e quando alcançamos a entrada do saco do Araçá ficamos de popa para elas..  Assim fomos entrando na direção o arroio no balanço das ondulações até vencermos as primeiras curvas onde a água estava paradinha na proteção do vento.

Mas, é assim mesmo o arroio Araçá: uma calmaria quando lá fora no guaibão está pegando com vento e ondas como era ontem. Por isso é um ponto muito procurado por barcos em finais de semana. Mesmo os veleiros de grande calado podem visitar o lugar.

Padaratz  registrando a saída para a água.

Entramos  nesse canal que vai se comunicar com o arroio mais adiante mas, está coberto por agua-pés e pelo jeito, permanentemente.

Na margem um caíque com redes. Normalmente ele vai a reboque no barco de pesca e serve para largar e recolher  redes. Com a água agitada ele ficou  na proteção se poupando estar  batendo nas ondas.

Saindo do canal.

Logo adiante no saco do arroio, uma embarcação de lazer ancorada.


Entrando no arroio Araçá.


As paisagens do arroio.


Das outras vezes não havíamos encontrado trãnsito tão grande de embarcações.

Vindo do interior do arroio uma lancha, um veleiro e mais outro. Na margem, três embarcações a motor e mais dois veleiros adiante.

O pessoal dos veleiros se interessaram por nossos caiaques e fizeram perguntas sobre eles e as fotos que apareceram no Popa, se eram nossas. Olha só, já estão nos reconhecendo nas águas.

Chegando nas prainhas de areias brancas outra vez. O Padaratz também se encantou com o lugar.

Muitas pegadas mas não sabemos de que animal. Parece que uma matilha passou ali perseguindo outros animais.

Aqui uma pegada de uma pata de três dedos e a minha botinha de borracha.

Final de passeio para a trawler.
 Para nós, olha a água que enfrentamos no retorno alguns minutos depois. Ainda bem que elas vinham pela proa. Foi um remada muito boa com o barco subindo e descendo as ondas. As mesmas ou, menores que as que enfrentamos até o arroio, segundo avaliação do Padaratz.

Acesso a praia recanto das Mulatas.

Domingo de temperatura baixa na praia doce.

Quando saímos na direção do arroio, deixei a câmera na proteção do saco estanque e por isso, não tenho fotos do percurso nas ondas. Depois , no retorno, fiz a mesma coisa achando que poderia ser uma remada difícil com aquelas ondas. Mas, o Padaratz fez muitas fotos. Recomendo que visitem o seu blog. Eu já estou curioso para vê-las,hehehehe

Outras fotos no álbum do caiaqueveio.

Deixe seu comentário.

2 comentários:

Jorge Luiz Padaratz disse...

Grande CaiaqueVeio....as tuas fotos ficaram muito boas, o teu companheirismo é melhor ainda, o teu espírito de aventura é de dar inveja a muita gurizada, e é por isso que temos que se registrar as "Aventuras dos "Veios" para que um dia os netos saibam algo de nós...hehehe
Mais uma vez ....valeu!

Um abração,

Padaratz

Germano José Greis disse...

Sorte dos veios que encontram amigos para os acompanhar e serem convidados para remadas. Mas, esse esporte parece não ter idade para parar e, só lamento, não ter começado mais cedo. Sempre serei grato aos amigos que me incentivaram e que tive oportunidade de caiacar ao seu lado. Obrigado Padaratz, você está no alto da minha lista VIP.

Postar um comentário